Tuiuti 2020 'Se não der bode, vai dar indio'








     A Escola de São Cristóvão fez um desfile com alguns problemas que a deixaram na oitava posição. A Tuiuti não conseguiu repetir o feito alcançado em 2018, que foi o maior desfile de sua história. Em 2019, a agremiação apresentou problemas de evolução principalmente devido a sua última alegoria que soltou alguns pedaços na concentração, abrindo um enorme buraco na avenida, comprometendo assim todo o desfile.
     João Victor chegou para substituir Jack Vasconcelos que foi para a Mocidade, e conta com um carinho grande dos admiradores do maior espetáculo da terra. O novo carnavalesco ainda deve uma grande apresentação no grupo especial. Sua única passagem como Carnavalesco principal no grupo especial foi em 2015, com a Viradouro, desfile que foi atrapalhado pela chuva, ficando assim na última posição. No grupo de acesso, ele brilhou em algumas oportunidades, principalmente em 2018, onde teve o seu trabalho bastante elogiado. Já em 2019, não foi tão bem na Unidos de Padre Miguel, onde trabalhou no ano anterior, desfile que contou com um temporal, danificando uma de suas alegorias.
     O ponto forte de João Victor são os enredos indígenas, conseguindo as melhores posições na sua carreira. Na Tuiuti, ele pode seguir a linha da escola nos últimos anos, sobre enredos críticos que deram certo com o Jack Vasconcelos, criando rapidamente uma identidade no grupo especial. É uma grande oportunidade para ele mostrar o seu valor e brilhar no grupo especial.





Assista ao vídeo na Integra e INSCREVA-SE no nosso canal no Youtube







Nenhum comentário